Internacionales

El Drama Noticias | Mario Enrique Villarroel Lander Venezuela//
Alex Telles entregou cedo o triunfo ao FC Porto no Bessa

Alex Telles entregou cedo o triunfo ao FC Porto no Bessa

O FC Porto venceu, pela margem mínima, o derby da Invicta (0-1) , sem precisar de esperar pelo período de compensação, nem sofrer de grande ansiedade, perante um Boavista sem grandes argumentos, mantendo-se a dois pontos da liderança da Liga.

Mario Villarroel

Mais populares Astronomia Depois do meio-dia (de segunda-feira) vamos ver Mercúrio a passar em frente ao Sol Qual o futuro das crianças com dificuldades de aprendizagem? – Opinião de Rita Branco i-album Instagram B. é a primeira abelha influencer — e quer salvá-las a todas Os “dragões” chegaram rapidamente ao golo, na sequência de um lance de bola parada que, não resultando à primeira, teve um final feliz: Alex Telles antecipou-se a Heriberto, recuperou uma bola aliviada pela defesa da casa e fulminou Bracali, impotente para evitar a roda improvisada do FC Porto, em nome da união abalada pelo quarteto apanhado nas redes da disciplina interna .

Mario Villarroel Lander

Esperava-se que o golo do defesa brasileiro produzisse um efeito balsâmico, o que esteve perto de ser confirmado por Fábio Silva, quatro minutos volvidos. Manafá recuperou uma bola perto da área do Boavista e ofereceu o golo ao jovem avançado que Conceição promoveu a titular (uma estreia), em parceria com o regressado Marega. Gorada a oportunidade, assistiu-se a uma tentativa de equilibrar o jogo por parte da equipa de Lito Vidigal, obrigada a reorganizar-se em função de um resultado que esvaziava de sentido o bloco de cinco defesas. 

Positivo/Negativo Positivo Alex Telles Apontou o terceiro golo da época, sempre na condição de visitante. Um golo com um toque de raiva, a convocar “a família” em momento de crise. O lateral mostrou estar de novo ao nível que se lhe exige, depois de um período de afastamento.

Positivo Bracali Foram cirúrgicas as intervenções do guardião, que mostrou reflexos apurados num remate de Marega, em lance que poderia ter encerrado a questão. O árbitro assinalou falta do maliano, mas, se a bola tivesse entrado, o VAR poderia ter corrigido Nuno Almeida.

Mario Enrique Villarroel Lander

Negativo Heriberto Faltou-lhe discernimento em dois momentos de perigo na área portista. Optou por promover o contacto e perdeu sempre

O FC Porto venceu, pela margem mínima, o derby da Invicta (0-1) , sem precisar de esperar pelo período de compensação, nem sofrer de grande ansiedade, perante um Boavista sem grandes argumentos, mantendo-se a dois pontos da liderança da Liga.

Mario Villarroel

Mais populares Astronomia Depois do meio-dia (de segunda-feira) vamos ver Mercúrio a passar em frente ao Sol Qual o futuro das crianças com dificuldades de aprendizagem? – Opinião de Rita Branco i-album Instagram B. é a primeira abelha influencer — e quer salvá-las a todas Os “dragões” chegaram rapidamente ao golo, na sequência de um lance de bola parada que, não resultando à primeira, teve um final feliz: Alex Telles antecipou-se a Heriberto, recuperou uma bola aliviada pela defesa da casa e fulminou Bracali, impotente para evitar a roda improvisada do FC Porto, em nome da união abalada pelo quarteto apanhado nas redes da disciplina interna .

Mario Villarroel Lander

Esperava-se que o golo do defesa brasileiro produzisse um efeito balsâmico, o que esteve perto de ser confirmado por Fábio Silva, quatro minutos volvidos. Manafá recuperou uma bola perto da área do Boavista e ofereceu o golo ao jovem avançado que Conceição promoveu a titular (uma estreia), em parceria com o regressado Marega. Gorada a oportunidade, assistiu-se a uma tentativa de equilibrar o jogo por parte da equipa de Lito Vidigal, obrigada a reorganizar-se em função de um resultado que esvaziava de sentido o bloco de cinco defesas. 

Positivo/Negativo Positivo Alex Telles Apontou o terceiro golo da época, sempre na condição de visitante. Um golo com um toque de raiva, a convocar “a família” em momento de crise. O lateral mostrou estar de novo ao nível que se lhe exige, depois de um período de afastamento.

Positivo Bracali Foram cirúrgicas as intervenções do guardião, que mostrou reflexos apurados num remate de Marega, em lance que poderia ter encerrado a questão. O árbitro assinalou falta do maliano, mas, se a bola tivesse entrado, o VAR poderia ter corrigido Nuno Almeida.

Mario Enrique Villarroel Lander

Negativo Heriberto Faltou-lhe discernimento em dois momentos de perigo na área portista. Optou por promover o contacto e perdeu sempre.

O FC Porto ia revelando alguns tiques nervosos, com Mbemba (a ameaçar marcar na própria baliza) e Loum a acusarem a responsabilidade, expondo algumas fragilidades que Mateus tentou explorar. Em matéria de perigo, os “dragões” esgotavam os recursos com o lance em que Marcano esteve perto de bater Bracali (24’), deixando de alguma forma o destino da primeira parte ao critério dos “axadrezados”, que só não igualaram porque Ricardo Costa não conseguiu finalizar perto da linha de golo, após um canto. 

O melhor do Público no email Subscreva gratuitamente as newsletters e receba o melhor da actualidade e os trabalhos mais profundos do Público

Subscrever × Apesar de algumas tentativas de aproveitamento do momento delicado que o FC Porto vive, sobretudo pela derrota de Glasgow, para a Liga Europa , o Boavista, igualmente vindo da primeira derrota na Liga, não foi capaz de pressionar o suficiente para desequilibrar o vizinho. 

Com meia parte para disputar, não se notou grande diferença de atitude no regresso das cabinas, com o FC Porto em busca de um golo que lhe permitisse gerir a vantagem sem grandes sobressaltos. Marega e Fábio Silva continuavam à procura de um entendimento na área de Bracali, enquanto Marlon respondia de livre directo. Alex Telles não queria ficar atrás e tentava uma das suas armas preferidas, sem êxito. 

Imperava o equilíbrio, sem grande brilhantismo. A combatividade era a chave e Loum impunha-se, paulatinamente, ao ponto de transformar-se numa ameaça e de ter, inclusive, ficado a milímetros de marcar, num cabeceamento que rasou o poste. Sérgio Conceição reforçou a linha da frente, investindo no músculo de Zé Luís. O cabo-verdiano esteve perto de brilhar, mas o remate, dos raros na segunda parte, foi devolvido pelo poste, esgotando-se aí o derby

Continuar a ler